O tal do amor…

Ahhhh o amor… amor que faz você cometer loucuras, se enfiar em ciladas, dizer coisas absurdas, amor que te tira o sono.

É como uma droga anestésica! O amor cria um escudo contra as coisas que podem te desequilibrar. Tanto que você torce para que dure pra sempre e, assim, não precisará olhar para trás e ver o estrago que fez a si mesmo ou ao caminho percorrido.

O amor pode também te levar a excluir hábitos (bons ou ruins) de sua vida. Quando ele é latejante, intenso, faz com que você também deixe seus amigos emputecidos. Emputecidos por você cometer a burrice de afastá-los da sua vida. Isto é, se afastou é que talvez não eram amigos de verdade (sei que há exagero aqui). A tal da vibe… você vai citar motivos só que os amigos não querem saber dos seus motivos. Amigos querem continuar sendo amigos…

Amor! Vai tomar no seu cu!

Escrevi isso ouvindo ‘New York’ do Daniel Johns

As correntes do WhatsApp…

 

Esses dias li uma corrente de WhatsApp diferente (pelo menos pra mim).

Enquanto uns mandam as correntes pornográficas e outros mandam aquelas que, se você não passar para mil pessoas, você morrerá, li uma a qual o foco era pedir para Deus para que chova em algum lugar do Ceará.

Fiquei pensando uns segundos… sobre a fé das pessoas, seus anseios, os recursos que utilizam para atingir algum objetivo, uma graça. E depois me peguei desejando para que chova logo nesse lugar do Ceará e para que essas pessoas fiquem bem. Estando bem, gastarão sua disposição para prosperar mais e mais.

 

2016…

Ano que muita gente morreu (todo ano morre gente), ano que pretendi correr uma maratona, comprar um X-Box One, fazer um upgrade no PC, viajar pra fora do país, prestar FUVEST, adotar um cachorro, pedalar mais, sossegar mais, ficar mais em casa, ler mais (e olha que já leio muito), ser mais resiliente, ceder mais.

Para 2017, espero que os objetivos não sejam 100% os mesmos de 2016. Se bem que esse lance do ano novo, de tudo novo, sempre foi uma baita de uma parada comercial. Enquanto os pulmões estiverem com o seu ciclo em pleno funcionamento, o momento certo sempre será agora mesmo!